quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Delegado localiza e prende, em SP, o assassino do professor da UERN





O delegado Inácio Rodrigues de Lima Neto, de Pau dos Ferros, conseguiu localizar e prender, com apoio da Policia Civil de São Paulo, o principal acusado de matar para roubar o professor Carlos Magno Viana Fonseca, da UERN, no Alto Oeste do Rio Grande do Norte.

Francisco Rafael Leite Mendes (foto), já condenado pelo latrocínio e ocultação de cadáver a 26 anos, 9 meses e 15 dias de reclusão, e 145 dias-multa, foi preso quando caminhava tranquilamente por uma rua da cidade de Peruíbe, no interior do Estado de São Paulo.

 Além de Rafael Leite, participaram do crime também Ivan Bueno Junior, que era menor na época do crime, e Elias Rodrigues Nunes. O caso, que chocou a sociedade Potiguar, foi investigado também pelo delegado Inácio Rodrigues e foi solucionado em detalhes.

O trio planejava assaltar um comerciante da cidade de Encanto, mas este não fez o percurso que fazia sempre entre Coronel João Pessoa e sua cidade. Neste trecho, os assaltantes terminaram por encontrar o professor Carlos Magno retornando da casa da namorada.

Terminaram simulando um acidente, o professor parou e eles anunciaram o assalto. Roubaram celular, dinheiro e objetos eletrônicos. Atiraram na cabeça do professor e o levaram para um local de pouca movimentação e atearam fogo no veículo com o corpo dentro.

Após o crime, o delegado Inácio Rodrigues, após detalhar como tudo aconteceu investigando cada detalhe prendeu os três suspeitos. Eles confessaram tudo em detalhes o que aconteceu, apontando com precisão possível apenas de quem teria participado para dizer.

Já na prisão, o menor foi encaminhado para Justiça aplicar a pena de medida sócia educativa e os dois maiores para o presídio, onde iriam aguardar a sentença judicial. Entretanto, antes do juiz Felipe Barros assinar a condenação, Rafael Leite fugiu.

Em contato com o Defato.com, o delegado Inácio Rodrigues diz aguarda autorização do Governo do Estado para ter os recursos para recambiar o Rafael Leite para um presídio do Rio Grande do Norte, onde vai cumprir mais de 26 anos de prisão.

O professor Carlos Magno estava fazendo doutorado.




fonte: Blog do JP.