sexta-feira, 31 de julho de 2015

Por falta de pagamento, empresa deixa de distribuir leite na região Oeste do RN



A empresa Laticínio Dois Irmãos, uma das fornecedoras do Programa do Leite do Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do RN (Emater-RN), emitiu nota de esclarecimento informando que o fornecimento de leite será suspenso em 11 municípios da Região Oeste Potiguar, a partir desta sexta-feira (31).

Na nota, a empresa atribui a suspensão à falta de pagamento dos serviços prestados em 7 quinzenas.

Segue a nota na íntegra:

O Sócio Administrador na pessoa de GUTO GRÁCIO DIÓGENES FREITAS CHAVES da empresa Laticínio Dois Irmãos Ltda. ME, situada em São Francisco do Oeste, comunica que haverá uma nova suspensão do fornecimento do leite do Programa do Leite do RN nos 11 municípios postos ( São Francisco do Oeste, Itaú, Portalegre, Taboleiro Grande, João Dias, Viçosa, José da Penha, Luís Gomes, Marcelino Vieira, Riacho da Cruz, Rodolfo Fernandes) por parte da Usina a partir do dia (31/07/2015) sexta feira.“CASO A SITUAÇÃO NÃO SEJA RESOLVIDA ATÉ A PRESENTE DATA”.

[A suspensão ocorrerá] devido ao acúmulo de não pagamento por parte da Emater-RN, responsável direta pela parte financeira do Programa, de sete 7 quinzenas aos pequenos Produtores Rurais fornecedores do Leite a Usina e a Usina, são elas: 2 quinzena de Abril, 1 quinzena de Maio, 2 quinzena de Maio, 1 quinzena de Junho, 2 quinzena de Junho, 1 quinzena de Julho e a encerrar se a 2 quinzena de Julho.

O não pagamento deveu-se a uma determinação por parte do S.r. Cesar Oliveira, Diretor da Emater, quando o mesmo reduziu a cota de litros diários da Usina em mais da metade desde a primeira quinzena de fevereiro/2015.

Pensando nos prejuízos à empresa, pois não há a mínima condição de funcionamento da Usina, tendo em vista a alta de custos como combustíveis, energia, salário e até mesmo o valor do litro de leite pago ao produtor, na maioria das vezes a Usina paga um valor com uma diferença a mais do que o governo paga, em função da defasagem do valor praticado pelo governo e principalmente na falta da chegada do produto as mãos do beneficiário, pois trata se de pessoas realmente de muita carência e que na maioria das vezes só tem esse alimento como única fonte de nutrição, a usina resolveu informar a população desses 11 ( onze ) municípios em que entrega que até o momento continua a fornecer a cota cheia diária, sem a redução imposta pelo s.r. César da Emater RN, e que fique bem claro que conforme a redução imposta por ele tem cidades como Portalegre, que hoje conta com 750 beneficiários atendidos, com a redução cairá para 300, Marcelino Vieira também cairá pela metade, Itaú cerca de 60% de redução, que totaliza um valor de 1200 litros a menos, ou seja, diariamente, 1200 pessoas ficarão sem receber o seu litro de leite.

O S.r. Cesar tem como fundamento para tomar essa decisão apenas que não existem beneficiários Cadastrados no Sistema Via Computador, mais que contradiz se quando menciona números superiores a beneficiários aptos a receberem o produto!

Ora, que culpa temos nós, Laticínios e muito menos os beneficiários se há anos não vem sendo feito o cadastramento como o S.r. César deseja, vem sendo feito sim, manualmente, em que as pessoas que fazem parte das comissões são verdadeiros heróis em indo substituindo quem já saiu da faixa de beneficiários dando vagas a novos beneficiários como há muito tempo se faz desde governos de Garibaldi, Wilma, Iberê e Rosalba.

As empresas possuem grandes compromissos assumidos com Instituições Financeiras que não perdoam juros e são inadiáveis é uma medida dessa representa ou dizima por completo uma empresa de pequeno porte e desestrutura o homem do campo que fornece com o intuito de pelo menos receber em dia pois tem compromissos com feira em mercadinhos, e ainda precisa comprar ração para alimentar ou suplementar o alimento do rebanho para mantê-los diante de uma estiagem prolongada como essa.

Vale salientar que essas faturas desde o mês de abril da empresa referida acima encontram se retidas por ordem do S.r. César, apenas as do Laticínio Dois Irmãos, segundo ele como sanção por desobediência à ordem imposta é dada por ele, enquanto que os demais laticínios encontram se praticamente em dia é a pratica antes só exercida sobre a nossa empresa, tomou uma proporção generalizada pois reduziu as cotas de todas as outras usinas, consequentemente diminuindo o número de beneficiários.

Ao meu ver, o S.r. César pretende mesmo aos poucos dizimar o programa, extinguir, e também falir por completo as empresas e tornar pelo menos os meus produtores verdadeiros devedores de mercadinhos e armazéns, aonde já não mais quase possuem credibilidade devido ao atraso e a sanção aplicada a nossa empresa.

Entende-se que as autoridades, prefeitos e a população em geral tomem pleno conhecimento dos atos do Diretor Geral da Emater RN para que se entenda o momento de tortura que estamos sendo submetidos. Acredita se em um Ser superior em que tudo pode, Deus, e só com a força dele conseguiremos vencer esses obstáculos e sairmos vitoriosos.

Entende-se também que Cadastramento e Recadastramento é um dever do Estado, no caso Emater RN, em uma força tarefa em caráter de urgência, e já que o Cadastro deve ser feito virtualmente por meio do uso de computadores, logicamente, que o Estado ou a Emater RN, designe equipes, e as dote da posse desses equipamentos que nunca existiram em poder de uma comissão de entrega é cadastramento do leite.


O que mais as comissões possuem, comprovadamente são cadastros antigos, de outras gestões, lápis e papel muitas vezes adquiridos com recursos próprios o que faz com que sejam chamados de verdadeiros heróis, pois fazem de tudo para beneficiar e alcançar o maior número de pessoas dentro dos parâmetros conhecidos por eles. Desde já, agradecemos e pedimos o empenho de todos na luta pela permanência e não pela falência do Programa do Leite do RN.


Mossoró Hoje
Imagem: pesquisa Google.