sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Parabéns Pau dos Ferros, pelos seus 159 anos de Emancipação Política



A princesinha do  Alto Oeste Potiguar, comemora hoje os seus 159 de Emancipação Política. Um orgulho  de todos nós Pau-ferrenses, por fazermos parte da história deste município, Parabéns Pau dos Ferros!.

Conheça um pouco da nossa  história;


Durante muito tempo, a região do atual município de Pau dos Ferros foi habitada pelos índios panatis até que, entre finais do século XVII e início do século XVIII, vaqueiros e viajantes vindos de Pernambuco e Piauí descobriram um curso de água, mais tarde batizado de Rio Apodi, cercado por grandes árvores frondosas, que logo passaram a servir de descanso em meio a longas e cansativas viagens. Ao longo deste curso, também foram organizados pontos de comércio, com a venda e marcação de gados nos troncos dessas árvores.


Em 1717, na época do Brasil Colônia, o senhor Manoel Negrão se tornou o primeiro donatário de uma sesmaria, que foi posteriormente doada ao coronel baiano Antônio da Rocha Pita, proprietário de grandes terras localizadas em terras correspondentes aos atuais estados do Ceará e Rio Grande do Norte. Com sua morte, em 1733, essa sesmaria, denominada "Pau dos Ferros", foi herdada por seus filhos Francisco da Rocha Pita, Luiz da Rocha Pita Deusdará, Simão da Fonseca e Maria Joana, sendo todos esses pioneiros que contribuíram para o estabelecimento de um núcleo de um pequeno povoado, com muitas casas de taipas ao redor dessa sesmaria. Mas o grande pioneiro da história do município foi o fazendeiro Francisco Marçal, que fundou uma fazenda destinada à criação de gado e, com grande mobilização, também foi o responsável pela construção de uma capela, em 1738, vindo a se tornar matriz de uma grande freguesia em 19 de dezembro de 1756, com a criação de uma paróquia, que teve como padroeira Nossa Senhora da Conceição. Esta paróquia é hoje a terceira mais antiga do Rio Grande do Norte, depois das freguesias de Natal e Assu, do qual foi desmembrada.
Em 1761, o povoado foi integrado à vila de Portalegre que, por se localizar em serra, distante 33 quilômetros do povoado de Pau dos Ferros, trazia prejuízos ao comércio local e dificultava o acesso das pessoas. Em toda zona serrana só existiam três povoados, que eram Apodi, Portalegre e Pau dos Ferros, sendo que apenas o último, devido à sua localização estratégica e privilegiada entre duas grandes serras, tinha um crescimento regular. Ao mesmo tempo, outros dois povoados começavam a ter destaque, Luís Gomes e São Miguel, ambos localizados em serra, o que dificultava o crescimento de ambos.
No século XIX, a partir de 1841, foi realizado um abaixo-assinado, que totalizou 492 assinaturas, reivindicando a elevação do povoado de Pau dos Ferros à categoria de vila, terminando em fracasso. No ano do centenário de criação da freguesia de Nossa Senhora da Conceição, o deputado provincial Bevenuto Fialho, em sessão legislativa na Assembleia Provincial em Natal no dia 23 de agosto de 1856, apresentou um projeto de lei que pretendia criar a Vila de Pau dos Ferros. Esse projeto logo se transformou na lei provincial n° 344, sancionada em 4 de setembro daquele ano pelo governador Antônio Bernardo Passos, elevando o povoado à categoria de vila, desmembrando-a de Portalegre. O nome "Pau dos Ferros" vem de uma árvore, mais precisamente de marcas fixadas com ferro em brasa numa oiticica muito frondosa que, pela sua grande dimensão, oferecia uma farta sombra e servia de local para o repouso dos vaqueiros, que chegavam cansados de longas caminhadas.

Da redação com Wikipédia