sexta-feira, 8 de julho de 2016

Ex-técnico de clube do RN é suspeito de fraude em jogos durante estadual

Marcos Ferrari foi técnico do Palmeira-RN no Campeonato Potiguar deste ano (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)


Marcos Ferrari, ex-técnico do Palmeira-RN, é o suspeito que está sendo procurado no Rio Grande do Norte por aliciar jogadores para fraudar jogos oficiais no Campeonato Potiguar deste ano. 
O mandado de prisão foi expedido a partir da operação "Game Over", encabeçada pelo Drade (Delegacia de Repressão aos Crimes de Intolerância Esportiva), que é a primeira fase de uma investigação de pelo menos nove meses que identificou a presença de uma quadrilha responsável por manipular resultados no Brasil a mando de apostadores da Indonésia, China e Malásia. 
A partida que está sob investigação, neste caso, é o confronto vencido pelo Globo FC por 5 a 1 sobre o Palmeira-RN, pela última rodada da Copa Rio Grande do Norte, equivalente ao segundo turno do estadual. À época, o treinador já não estava mais no time de Goianinha - foi demitido logo após a goleada sofrida por 7 a 0 para o América-RN, pela quarta rodada. 
Segundo apurou o GloboEsporte.com, mesmo fora do clube de Goianinha, o treinador mantinha relação com alguns jogadores que foram para o Verdão por sua indicação e os tratava como "meus meninos". Marcos Ferrari deve ser preso ou se entregar à Polícia ainda nesta quinta-feira.
O GloboEsporte.com foi procurado pelo advogado Artur Roque, que representa o ex-treinador do Palmeira-RN, que disse "não ter conhecimento sobre a investigação e que ainda estaria se inteirando sobre os autos do processo".
O advogado contou ainda que Marcos Ferrari permanece em Natal e aguarda o cumprimento do mandado pela Polícia. Após deixar o clube, Ferrari também teria aberto um bar no bairro de Ponta Negra, na zona Sul da capital potiguar.
De acordo com uma fonte que esteve ligada ao futebol do Palmeira-RN durante o estadual e que pediu para não ser identificada, "se (Marcos) procurou coisa errada, terá que arcar com as consequências. Ele (Marcos) diz que não tem nada a ver, mas ninguém conhece ninguém hoje".
O presidente do clube, Cláudio José Freire "Cal", negou qualquer participação da instituição no esquema de corrupção.
G1 RN