quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Moradores denunciam que casas podem desabar na zona rural de Uiraúna e pedem que prefeitura faça reforma

Casas de taipa na comunidade do Sítio Seriema, em Uiraúna (Foto: Diário do Sertão)


Os moradores da comunidade do Sítio Seriema, zona rural do Município de Uiraúna-PB, na estão fazendo um apelo, para que as casas em que moram sejam reformadas pela prefeitura.

Nas casas, além do risco de desabamento quando chove, outro fator relevante é o perigo de contaminação com a doença de chagas.
Segundo os moradores, vários cadastros já foram feitos para que as 7 casas de taipa fossem reformadas pela Prefeitura de Uiraúna, mas até agora não obtiveram respostas.
Um Agente de saúde daquela localidade recolheu amostras do besouro do tipo barbeiro, transmissor da doença de chagas e irá acionar a justiça, para que o problema seja resolvido o mais rápido possível.
A comunidade é composta de várias crianças e idosos.
RISCOS
As casas de taipa têm paredes de barro, sustentadas por estacas e não oferecem condições adequadas de moradia, e ainda são muito comuns na região nordeste.
As camadas de barro têm rachaduras, que podem servir de abrigo para o barbeiro, inseto causador da doença de chagas.
O OUTRO LADO
A reportagem do Diário do Sertão entrou em contato com a gerente de comunicação do município de Uiraúna, Samanta Almeida e ela enviou nota sobre o assunto:
NOTA

Primeiro é necessário esclarecer que o projeto de melhorias habitacionais que está sendo executado pela prefeitura foi conseguido através de convênio com a Funasa, a partir de um programa de prevenção da doença de chagas. Quando a Funasa lança o edital do projeto, prefeituras do Brasil inteiro enviam suas propostas para aprovação ou não do órgão. Esse projeto tem duas categorias: Restauração de Moradias e Reconstrução de Moradias. As obras que estão sendo executadas foram atendidas na modalidade Restauração de moradias, que seria melhorar a estrutura física do imóvel. 

Nós tomamos conhecimento das casas no sítio Siriema, e enviamos uma fiscal de obras ao local para avaliação. A situação das casa não se encaixam na modalidade Restauração, mas Reconstrução, que é fazer uma nova casa, usando uma linguagem mais simples. Para essa modalidade a Funasa ainda não lançou edital.

A prefeitura está realizando mapeamento de famílias que tenham a mesma necessidade dessas do Sítio Siriema, para que assim que houver a possibilidade de convênio elas possam ser beneficiadas.

Mas por enquanto o que segue em execução são as obras de melhorias habitacionais na modalidade Restauração, onde 17 famílias nas comunidades Tigres, Bujary, Curupayti e Arapuá. Também enviamos para a Funasa a propostas de mais outras 27 na mesma modalidade em diversas comunidades rurais, a exemplo de Areias, Arrojado, Cafundó, Exu, entre outras.


DIÁRIO DO SERTÃO