quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Com cultivo de legumes, agricultor da região de Cajazeiras ajuda a formar as filhas e se emociona

Plantação de alface de seu Nivaldo muda a paisagem do sítio

Para muitos agricultores, a seca que castiga o Sertão paraibano há vários anos se tornou um obstáculo insuperável. Sem água, sem tecnologia e sem apoio de políticas públicas, o resultado é a perda de plantações e animais.



No entanto para outros é possível manter o cultivo. Não com o mesmo aproveitamento, é claro. Mas com uma boa dose de conhecimento e habilidade sobre as práticas do campo, dá para salvar boa parte da lavoura e dos bichos.
No distrito de Gravatá, município de São João do Rio do Peixe-PB, seu Nivaldo Bezerra é um exemplo de superação. Apesar de a região vivenciar uma das épocas mais quentes dos últimos tempos, o agricultor de 52 anos mantém uma bela plantação de legumes, verduras e frutas sem auxílio de máquinas e sem fazer uso de agrotóxicos.
Em suas terras ele consegue produzir em larga escala alimentos que são comercializados em várias cidades da região e até no Ceará. Pimentão, tomate, alface, macaxeira, batata, manga e cerejas são alguns dos hortifrútis cultivados por seu Nivaldo. Quem chega ao sítio, logo percebe a diferença de paisagem entre as terras secas ao lado das terras onde ele planta, verdes como um oásis no meio do deserto
Devido ao forte calor, ele chega a perder de 30 a 40% de alguns alimentos por não ter uma grande tenda ou alpendre que possa cobri-los. Mas o restante é vendido para feirantes e dá para apurar um bom dinheiro.
Com a agricultura, seu Nivaldo tem ajudado nos estudos das três filhas. Duas delas fazem curso superior e uma se formou em Administração recentemente. Ele se emociona ao relembrar as vezes em que vendeu limão para pagar o lanche das jovens.

Diário do Sertão