segunda-feira, 5 de março de 2018

Conheça a Flor de Sal: tempero da alta gastronomia produzido no RN

Rio Grande do Norte é responsável por mais de 95% da produção de sal do país
(Foto: Anderson Barbosa/G1)



As versões são natural, defumado, ervas finas, com ibisco, chocolate com pimenta, caramelizado e alho com limão. Nem parece, mas estamos falando de sal, ou melhor, da flor de sal - tempero único que só tem produção em dois lugares do mundo: no Rio Grande do Norte e no Sul da França.

Usada pela alta gastronomia, a flor de sal é considerada rara e o sal marinho mais nobre e sofisticado, entre os tipos existentes. Seus cristais são coletados de forma manual em períodos específicos do ano, nas superfícies das salinas. Secados naturalmente ao sol e envazados por artesãs, o produto é comercializado por lojas gourmet e restaurantes ao redor do mundo.

Segundo os especialistas, o modelo de produção mantém até o aroma do mar. A flor de sal contém mais de 80 minerais e oligoelementos, porém, o teor de cloreto de sódio, principal componente do sal, é relativamente baixo. O magnésio, um dos primeiros componentes a precipitar-se nas superfícies das águas, age como um realçador natural de sabor, tornando-se também uma alternativa aos adeptos da qualidade de vida saudável. Já o preço, é bem salgado: 100 gramas chegam a custar R$ 7.

No Rio Grande do Norte, principal produtor de sal do país, a flor de sal é produzida por apenas uma empresa. O produto foi selcionado para representar o estado no Salon international de la restauration, de l'hôtellerie et de l'alimentation (Sirha). O evento é considerado o mais importante em âmbito mundial para profissionais de alimentação e hotelaria e será realizado entre os dias 14 a 16 de março, no São Paulo Expo.

A empresa Cimsal, que é prioneira na produção no país, foi uma das empresas do Rio Grande do Norte selecionadas pelo Sebrae para compor o Espaço Terroir, que terá 63 produtores rurais de todo o país. A ideia do espaço é apresentar no salão produtos diferenciados com apelo gourmet que apresentam indicação geográfica ou de procedência, certificação de orgânico, características oriundas de territórios brasileiros que valorizam a cultura, a origem, as tradições e o “saber fazer”. O espaço ganhou destaque nas últimas edições, chegando a ir para Lyon em janeiro de 2017, no evento francês.

G1 RN