terça-feira, 12 de novembro de 2019

Pescado do RN está próprio para consumo, diz Ministério da Agricultura

Análise feita pela PUC/RJ diz que consumo de pescados do RN não oferece risco - Foto: Divulgação/Embrapa Pesca e Aquicultura



O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) divulgou, nesta segunda-feira (11), que peixes e lagostas pescados no Rio Grande do Norte estão próprios para consumo. Uma análise feita pelo Laboratório de Estudos Marinhos e Ambientais da PUC/RJ com amostras coletadas nos dias 29 e 30 de outubro no RN. Também foram feitos exames com pescados dos estados da Bahia, Ceará e Pernambuco, que também foram atingidos pelo óleo.

Segundo o Ministério, o laboratório analisou os níveis de Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPA) - indicadores para contaminação por derivados de petróleo. Os resultados revelam níveis baixos dos HPAs detectados em peixes e lagostas, não representando riscos para o consumo humano. Ao todo, 37 compostos de HPAs foram avaliados.

O Mapa disse que vai continuar o monitoramento de segurança do consumo de pescado e, conforme o resultado das análises, a Pasta vai liberar novas recomendações.

O que se sabe até agora sobre as manchas de óleo no Nordeste

As manchas de petróleo em praias do Nordeste já atingiram 466 localidades de 10 estados desde o final de agosto. Os estados em que elas apareceram são Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe e, também, no Espírito Santo.

A substância é a mesma em todos os locais: petróleo cru. O fenômeno tem afetado a vida de animais marinhos e causado impactos nas cidades litorâneas. A origem da substância poluente está sob investigação.

G1 RN