quinta-feira, 25 de outubro de 2018

População transforma terreno abandonado em horta comunitária em Natal

Hortaliças produzidas são doadas para moradores do bairro e também vendidas —
Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi



Um terreno abandonado que acumulava entulho e lixo deu lugar a uma horta comunitária a partir da iniciativa de moradores do bairro Nova Descoberta, na Zona Sul de Natal. A horta tem potencial para produzir até 7 mil hortaliças, tudo orgânico e 100% natural. O que é colhido é vendido e também doado a famílias do bairro. Os moradores podem colher direto da terra alface, cebolinha, coentro, entre outras hortaliças.

A inciativa foi do técnico agrícola Samy Tavares que há cinco meses transformou o local para a alegria da vizinhança. “Eu era representante comercial e trabalhava com venda de eucalipto e também cultivava plantas ornamentais. Comecei a estudar na Escola Agrícola e foi quando surgiu a ideia de cultivar hortaliças”, conta o técnico agrícola Samy Tavares.

O terreno era abandonado e cheio de lixo, e incomodava a população há anos. Os moradores se preocupavam com a possibilidade do lugar servir de criadouro de mosquito de dengue. “Era muito lixo, botava pneu, lixo podre e eu me preocupava muito com o mosquito da dengue”, revelou a dona de casa Ivone Dias.

Samy negociou com o dono do terreno o aluguel para o projeto poder ir para frente. A horta também serve como ambiente de aprendizado para o estudante João Pedro da Silva que é estudante de agropecuária e usa a horta para botar em prática o que vê na faculdade. “Eu monto canteiros, planto, semeio mudas, aplico defensivos naturais entre outras coisas como irrigação ”, conta o estudante.

O idealizador do projeto já pensa em abrir as portas da horta para as escolas, para que professores e alunos, principalmente crianças, possam ter contato com a natureza e terem acesso a educação ecológica. “Os alunos vão vir fazer um teste sensorial, vão poder sentir, olhar e poder escolher as hortaliças, e o principal vão aprender as práticas agroambientais”, planeja Samy.



G1 RN