sexta-feira, 7 de junho de 2019

Custo da cesta básica diminui 0,98% em Natal

Custo da cesta básica diminui 0,98% em Natal - Foto: Divulgação



O preço médio da cesta em Natal apresentou queda de 0,98% em maio, em relação a abril. O custo foi de R$ 406,07. Dentre as 17 capitais pesquisadas, a potiguar ocupou a terceira posição entre os menores preços, ficando atrás de João Pessoa (PB) e Salvador (BA).

No entanto, em 12 meses a variação acumulada foi de 19,02%. Nos cinco primeiros meses de 2019, também houve alta acumulada em Natal, que foi de 18,94%, a terceira maior do país, atrás de Recife e Vitória. Os dados são do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e foram divulgados nesta quinta-feira (6).

De acordo com o levantamento, entre abril e maio de 2019 sete produtos apresentaram queda em Natal: feijão carioquinha (-12,86%), açúcar cristal (-2,07%), café em pó (-1,93%), carne bovina de primeira (-0,73%), farinha de mandioca (-0,70%), óleo de soja (-0,26%) e pão francês (-0,11%). As altas foram registradas nos demais produtos: leite integral longa vida (4,90%), arroz agulhinha (2,66%), manteiga (0,91%), banana (0,79%) e tomate (0,15%).

Ainda segundo o Dieese, em 12 meses oito produtos acumularam taxa positiva nos preços: tomate (97,95%), feijão carioquinha (91,41%), açúcar cristal (15,69%), arroz agulhinha (14,40%), pão francês (14,06%), manteiga (6,16%), carne bovina de primeira (5,75%) e óleo de soja (2,67%).


O Departamento informou também que o leite integral longa vida se mantém estável, e que as taxas acumuladas foram negativas somente para a farinha de mandioca (-20,93%), a banana (-12,77%) e o café em pó (-6,53%).

Salário mínimo x cesta básica

De acordo com o Dieese, em maio de 2019 o custo da cesta em Natal comprometeu 44,23% do salário mínimo líquido (após os descontos previdenciários), percentual menor do que o de abril (44,67%). Em maio de 2018, equivalia a 38,87%.

Os trabalhadores que recebem um salário mínimo precisaram cumprir jornada de trabalho de 89 horas e 31 minutos, em maio de 2019, para comprar a cesta na capital do RN. Em abril, o tempo necessário foi de 90 horas e 24 minutos. Já em maio de 2018, a jornada média era de 78 horas e 41 minutos, ainda segundo o Dieese.



G1 RN