quinta-feira, 28 de maio de 2020

Professor mata mulher e enterra no quintal de casa na Grande Natal


Uma mulher de 24 anos foi encontrada morta enterrada no quintal de uma casa em São Gonçalo do Amarante, Grande Natal, nesta quarta-feira (27). O imóvel pertence a um professor de 27 anos, que confessou o crime e está preso.

 

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito, que é casado, alegou em depoimento que havia tido um caso com a vítima tempos atrás, e que ela o estava procurando novamente para que assumisse o relacionamento. Seria esse, segundo ele, o motivo do assassinato.

 

O professor também disse à polícia que a vítima afirmava ter tido um filho dele. Contudo, de acordo com o delegado Cláudio Henrique, que apura o caso, a mulher não tinha filhos.

 

A mulher estava desaparecida desde o dia 14 de maio. Na sexta-feira da semana passada, dia 22, a irmã dela procurou a Delegacia de Capturas (Decap) para comunicar sobre o desaparecimento. Ao delegado Cláudio Henrique, ela disse que a irmã havia saído para se encontrar com um professor não mais voltado.

 

O suspeito ensina Física e já tinha sido professor da vítima. Nesta terça-feira (26), ele foi interrogado pela primeira vez pelos investigadores. De acordo com o delegado Cláudio Henrique, o homem negou qualquer envolvimento no desaparecimento.

 

Entretanto os policiais conseguiram identificar o motorista de aplicativo que levou a vítima até o local em que ela se encontrou com o professor. Era a casa da mãe dele, que fica em um condomínio em São Gonçalo do Amarante.

 

No condomínio, os policiais tiveram acesso às câmeras de segurança. Ainda segundo o delegado, as imagens mostram o momento em que a mulher desce do carro, solicitado por aplicativo, e se encontra com o suspeito. Os dois então teriam saído juntos em uma motocicleta guiada por ele.

 

O professor foi chamado à delegacia pela segunda vez, nesta quarta (27), e assistiu às filmagens. Foi questionado novamente e confessou o crime à polícia. O delegado Cláudio Henrique conta que o próprio suspeito mostrou à equipe da Decap onde havia enterrado o corpo.

G1

RN