quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Justiça Federal condena ex-diretor do Dnit no RN a 4 anos e meio em regime aberto




Em mais um desdobramento da operação Via Ápia, como ficou conhecida a denúncia de um esquema de corrupção em obras do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte no Rio Grande do Norte, o juiz federal Eduardo Dantas, da 14ª Vara Federal, condenou duas pessoas, absolveu uma e aplicou o perdão judicial a outra.

Foram condenados Gledson Golbery de Araújo Maia, ex-diretor de Engenharia do Dnit, e o empresário Arlindo Cavalca Filho. No caso de Gledson Golbery, ele foi condenado a 13 anos, 6 meses e 3 dias de reclusão e ao pagamento de 422 dias-multa, com cada dia-multa no valor de 1/30 do salário mínimo vigente. Como ele firmou um acordo de colaboração premiada, a pena dele foi convertida a 4 anos, 6 meses e 1 dia de reclusão em regime aberto.

Sobre Arlindo Cavalca, a pena foi de 6 anos, 5 meses e 10 dias de reclusão e o pagamento de 194 dias-multa, com cada dia-multa no valor de 1/30 do salário mínimo vigente.

Luciana Sbaraini foi absolvida no processo. Já Adla Érica de Queiroz Silva Maia, esta recebeu o perdão judicial nos termos da colaboração premiada que firmou com o Ministério Público Federal.

A denúncia do Ministério Público Federal recaiu sobre favorecimento indevido de contratação para empresa Cavalca Construções e Mineração Ltda, da qual Arlindo Cavalca é sócio.

G1 RN