quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Segurança é assassinado a tiros na porta de clube na cidade de Sousa-PB



O segurança Edvaldo Laurentino da Gama, de 27 anos, morador do bairro Sousa I, foi assassinado por volta das 16h de terça-feira (09) na cidade de Sousa quando se encontrava trabalhando para uma empresa de segurança particular durante a festa de Carnaval do Riachão Campestre Clube.
O rapaz foi baleado no momento em que prestava serviços no evento de Carnaval a uma empresa terceirizada. A primeira suspeita de autoria recaiu a um rapaz conhecido como Nandinho do Guanabara, mas foi descartada pela polícia depois de alguns levantamentos.
A verdadeira autoria está sendo investigada pelos agentes do Grupo Tático Especial que têm em mãos os nomes de dois jovens residentes na cidade de Sousa, os quais estavam juntos no momento em que a vítima foi alvejada
Duas versões foram dadas para o crime. A primeira que teria ocorrido um desentendimento entre algumas mulheres e o suspeito em frente a portaria do clube. O segurança, por sua vez, interviu e um deles disse que iria em casa pegar arma. Cerca de dez minutos depois, ele retornou e foi logo atirando contra o segurança.
A outra versão aponta que os acusados teriam sido expulsos da festa por terem sido flagrados fazendo uso de entorpecentes e com raiva disso foram em casa numa motocicleta e no retorno sacou a arma e atirou contra a vítima.
Edvaldo Laurentino foi socorrido pelo SAMU e Corpo de Bombeiros para o Hospital Regional de Sousa ainda com vida, mas ao dar entrada na área vermelha da unidade de saúde acabou falecendo minutos depois. Depois de constatada a morte, o corpo foi encaminhado ao NUMOL do IML em Patos para exames de necropsia.
Após a prática do crime de morte, os acusados fugiram do local na motocicleta. O caso está sendo investigado pelo delegado Cláudio Bezerra e será repassado ao titular do GTE, Carlos Seabra.
A direção do Riachão Campestre de Sousa informou que lamenta o fato ocorrido e se solidariza com a família do segurança Edvaldo que trabalhava no momento da tragédia e ao mesmo tempo pretende colaborar com as investigações da polícia no sentido de identificar e prender os criminosos.

Diário do Sertão